Louvando a Deus de coração

oracao-louvando-a-Deus

O louvor a Deus é o fruto natural dos lábios que confessam o seu nome. É a manifestação espontânea do coração daqueles que tem provado o amor do Senhor. Gostamos de elogiar e honrar àqueles com quem temos um relacionamento de amor.

“(…) falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor, com hinos e cânticos espirituais (…).” Ef 5.19.

“Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome.” Hb 13.15.

Louvar a Deus é expressar a Ele nosso amor. É dar a Ele glória e honra. É exaltá-lo. É lembrar suas virtudes e seus feitos. Isto é justo e atende a uma necessidade de nosso espírito. Para isso mesmo fomos criados. Temos necessidade de louvar ao Senhor. E isso também o agrada. Ele recebe como expressão de nosso amor e honra.

O louvor é a resposta do nosso
coração ao amor de Deus.

O mais extenso livro da Bíblia, o livro de Salmos, é um livro essencialmente de louvor. É uma fonte de inspiração àqueles que amam ao Senhor.

“Cantarei ao Senhor enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus durante a minha vida.” Sl 104.33.

“Aleluia! Louvai, servos do Senhor, louvai o nome do Senhor. Bendito seja o nome do Senhor, agora e para sempre. Do nascimento do sol até ao ocaso, louvado seja o nome do Senhor.” Sl 113.1-3.

O louvor e a adoração nos Céus

O livro de Apocalipse nos dá um prenúncio do que acontecerá nos Céus. Passaremos a eternidade, juntamente com os anjos, louvando ao Senhor e adorando-o. Aleluia!

“E os quatro seres viventes, … não têm descanso, nem de dia nem de noite, proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir.” Ap 4.8.

“Vi e ouvi uma voz de muitos anjos ao redor do trono, dos seres viventes e dos anciãos, cujo número era de milhões de milhões e milhares de milhares, proclamando em grande voz: Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor.” Ap 5.11-12.

“Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos.” Ap 5.13.

Renderemos louvor, glória e honra ao Senhor por todos os séculos. É o que mais faremos na eternidade. O prazer e a glória serão plenos. O adoraremos com perfeição. Certo irmão disse: “se alguém não gosta de louvar ao Senhor, não vai gostar do céu”.

O louvor e a adoração hoje

Ainda que passemos a eternidade rendendo louvor, glória e honra ao Senhor, desde agora tenhamos experiências genuínas de louvor e adoração. Isso começa em nosso relacionamento pessoal com Deus. Passe o dia todo louvando de coração ao Senhor e tenha também momentos especiais nos quais você se derrama em adoração, lançando ao Senhor as mais puras declarações de amor e gratidão.

Quando estamos reunidos, louvemos a Deus. Essa é uma das primeiras coisas que desejamos fazer ao estarmos juntos. O próprio Espírito Santo nos inspira a isso. Declaremos as suas obras. Exaltemos o seu nome. Demos a Ele toda glória e honra. Rendamos graças por tudo o que temos e somos.

Louvemos ao Senhor não só pelo que Ele tem feito, mas sobretudo pelo que Ele é. Louvemos porque Ele é santo e justo. Louvemos ao Senhor porque Ele é grande. Louvemos porque Ele é bom. Porque Ele é fiel. Porque não muda. Bendito é o Senhor e digno de louvor para sempre! Aleluia!

Louvando a Deus

Aprendamos a ser verdadeiros adoradores. Louvemos ao Senhor com tudo o que temos, de todas as formas possíveis. Mesmo quando estamos cansados ou sem vontade. Expressemos de coração, com fervor, louvor, honra e glória ao Senhor.

A Bíblia nos ensina diversas formas de expressar nosso louvor. Devemos praticá-las, sem barreiras ou vergonha. Louvemos ao Senhor:

  • falando e cantando: Sl 35.28;
  • levantando nossas mãos: Sl 63.4; 13 4.1-2; 141.2;
  • aplaudindo: Sl 47.1; 98.8;
  • tocando instrumentos musicais: Sl 33.2; 150.3-5;
  • dançando: 2Sm 6.14; Sl 150.4;
  • inclinando-nos e ajoelhando-nos: Sl 95.6.

Devemos louvar ao Senhor em nossas casas, quando estamos sozinhos e quando estamos com nossas famílias.

Também quando estamos reunidos com nossos irmãos, devemos louvar ao Senhor das formas acima, como simples e verdadeiros adoradores. Não devemos esperar pelos músicos, nem ser “manivelados” por eles. Nessa hora, estamos reunidos em torno do nosso Pai e do nosso irmão Jesus para louvá-los. Não devemos nos intimidar ou ficar preocupados com nossa imagem. Sejamos obedientes à voz do Espírito Santo.

“Todo ser que respira louve ao Senhor. Aleluia!” Sl 150.6.

Texto retirado da Apostila Comunhão com Deus – Edição 2013
– Igreja em Salvador – Site Fazendo Discípulos)

Leia mais:

Você pode gostar...