Do que devemos falar para fazer discípulos?

o-que-falar-para-fazer-discipulos

Para responder essa pergunta, devemos primeiro ler At 2.22-39. Aqui, nós observamos a primeira investida da igreja, quando ela começa a obedecer ao mandamento de Jesus. Qual o conteúdo da mensagem de Pedro? Essa pregação se divide basicamente em duas partes:

a) Pedro fala sobre Jesus, sua vida e sua obra.

  • vs. 22 Fala dos milagres, prodígios e sinais (obra tremenda e grandiosa).
  • vs. 23 Fala da sua morte na cruz (mostrando que o Pai o entregou).
  • vs. 24-32 Fala da sua ressurreição, usando duas provas: as promessas feitas a Davi (vs. 24-32) e o testemunho deles mesmos, que viram a Jesus ressuscitado (vs. 32)
  • vs. 33-35 Fala da exaltação de Jesus.
  • vs. 36 Proclama que Jesus é Senhor e Cristo.

A proclamação sobre Jesus, sua vida, morte, ressurreição, exaltação e senhorio é o que vai produzir fé no coração daquele que ouve. Ninguém pode experimentar um novo nascimento, se não for pela fé no Senhor ressuscitado (Rm 10.9). Essa proclamação não pode ser formal ou acadêmica, mas deve ser dada com simplicidade, alegria, autoridade e unção do Espírito Santo. Aquele que proclama deve estar cheio de fé, para que possa transmitir fé ao que ouve.

b) Pedro fala a eles o que devem experimentar de entrada no Reino de Deus.

Quando os que ouviam Pedro deram crédito à sua palavra e temeram (vs. 37), Pedro então lhes deu a segunda parte da sua mensagem (vs. 38). Na primeira parte (vs. 22-36), Pedro falou do que Jesus fez. Agora, ele vai falar do que Jesus quer que nós façamos.

“Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo”. At 2.38

Aqui há uma indicação clara. São três realidades distintas que devem ser experimentadas logo no início de nossa vida com Cristo. A primeira e a segunda são as condições para entrarmos no Reino de Deus, a terceira é uma promessa de Deus para aqueles que preencherem as condições. Podemos dizer que essa é a Porta do reino. A fé na proclamação de Jesus não é a própria entrada no reino. A fé é a base, é aquilo que vai me dar poder para entrar, vai me dar poder para ser um filho de Deus (Jo 1.12). A fé não é a Porta de entrada, ela é o que dá poder para entrar. A porta de entrada do reino se constitui em:

  • Arrepender-se
  • Ser batizado em nome de Jesus e
  • Receber o dom do Espírito Santo.

Vimos então que Pedro falou de duas coisas: falou de Jesus e da porta do reino. É do que nós devemos falar para fazer discípulos.

Para fazer discípulos devemos
falar de Jesus e da Porta do Reino

Falar da obra de Jesus na esperança que os homens creiam, sem colocar as condições para ser um discípulo, produz uma fé sem expressão prática que logo se tornará uma fé morta. Esse tem sido um dos principais erros da igreja neste século. Por outro lado, falar das demandas (exigências) do reino, sem comunicar a graça de Jesus Cristo, produz uma religiosidade legalista e sem poder. Do mesmo modo que estar arrependido e batizado sem ter recebido o dom do Espírito Santo implica numa vida infrutífera no desempenho do seu serviço.

É necessário comunicar a Verdade sobre Jesus, os Mandamentos e a Promessa do versículo 38. A Verdade produz Fé para que aconteça a obediência, os Mandamentos direcionam essa obediência e a Promessa capacita para o testemunho.

(Texto retirado da Apostila Princípios Elementares – Edição 2013
– Igreja em Salvador – Site Fazendo Discípulos)

Do que falar para fazer discípulos?

Você pode gostar...